LUA CRESCENTE EM ESCORPIÃO

SEXTA-FEIRA, 05 DE AGOSTO DE 2022


Crescer nas águas escorpianas, envolve movimentações cirúrgicas, eliminação do que corroe e apodrece dentro da alma.

Os signos envolvidos em todo o caminhar da lua são os fixos, áreas da vida onde normalmente somos mais resistentes e inflexíveis.

Áreas que já por um tempo, vem sofrendo abalos, mudanças, desapegos, reestruturação…

O céu da fase crescente é complicado, denso, elétrico, explosivo, abala estruturas, pede movimento, que se não acontece de dentro para fora (escorpião), se apresenta de fora para dentro.


Domar nossos leões e feras, caminhar pelas nossas águas turvas, enxergar nossas imperfeições.

Se olharmos para o externo, percebemos as movimentações de abalos, a natureza gritando seus limites e o homem disputando poderes, externando suas piores versões. Disputas, guerras, um clima bélico e primitivo.



Dentro de nossas vidas pessoais, a proporção vem da mesma maneira, entretanto, temos a possibilidade de transmutar o que é necessário nesse ambiente privado. Uma das facetas escrpianas é perceber o que poucos conseguem, ir direto ao ponto da ferida.

Por que ai dói?

Quais os seus medos?

Embora não possamos encarar as nossas sombras diretamente, vez ou outra elas se apresentam, e aqui não é o lance de iluminar o lado sombrio, mas não perder a consciência (luz), quando se entra nos vales. Até porque, onde quer que joguemos a luz, outras sombras surgirão em paralelo, percebem?

E se estamos falando de lunação de Leão, as sombras permeiam o egoísmo, a tirania, a megalomania, o narcisismo...

Ontem atendi uma pessoa, muito querida, que me falou uma coisa, que para você aí do outro lado pode parecer banal, mas que tem uma potência muito grande dentro desse cenário que estamos vivendo, ela me disse: “ta faltando amor no mundo.”

E amor é de Leão, portanto, ao longo dessa fase, se olhe e olhe para o outro com amor, e se desfaça, elimine, transforme as demais sensações que apodrecem o corpo e alma aos poucos.

Boa fase crescente.


Bruna Barella